“Como vai você, Geração 2000?”.

A literatura marginal dos anos 70 era uma forma de expressão em meio a repressão e censura do regime militar

Os Anos 70 foram duros para nossa intelectualidade, que tinham que ter criatividade e cautela para se expressar.

A forma marginal de expor suas ideias. “A literatura marginal dos anos 70” foi a forma usada para que os pensamentos pudesse circular.

A ditadura militar foi um duro golpe na literatura, tendo sido agravada a partir de 1970, assim vários escritores tinham que se manter anônimos ou usar nomes falsos para terem suas obras circulando sem correr o risco de sofrerem com o AI-5. Isso tudo é claro influenciou na qualidade do que circulava.  Segundo um artigo de Paloma Vidal intitulado “Literatura e ditadura: alguns recortes” o maior desafio dessa literatura engajada havia sido transmitir uma mensagem politica sem se render ao Maniqueísmo.

A década de 1970, para termos um exemplo, de como nossos poetas da época, se relacionavam  com sua arte  no período de ditadura no Brasil.

A poesia ( “A Poesia marginal dos anos 70”) de Antônio Carlos de Bristo , o “Cacaso”, nos dá exemplo da figura do general e nos remete á ditadura militar; de outro, o pássaro é o poeta que mesmo sem forças resiste. No meio do poema, formatados no meio da página vemos a anáfora, ressaltando que o poeta estava atento à sua época. 

No 12º verso, a conjunção adversativa demonstra que apesar dos tempos duros, a poesia tem seu poder de luta.

A Poesia marginal dos anos 70

Sonhei com um general de ombros largos
e que no sonho me apontava a poesia
enquanto um pássaro pensava suas penas
e já sem resistência resistia.
O general acordou e eu que sonhava
face a face deslizei à dura via
vi seus olhos que tremiam, ombros largos,
vi seu queixo modelado a esquadria
vi que o tempo galopando evaporava
(deu pra ver qual a sua dinastia)
mas em tempo fixei no firmamento
esta imagem que rebenta em ponta fria:
poesia, esta química perversa,
este arco que desvela e me repõe
nestes tempos de alquimia.

Antônio Carlos de Bristo , o “Cacaso”

A pergunta, em tom casual “Como vai você, Geração 2000?”.