Uma grande Mulher

 

 

Uma grande Mulher
Fátima Irene Pinto

 

Uma grande mulher para mim é acima de tudo
feliz alto astral, de bem com a vida.
Não que ela carregue fardos, muitas vezes
pesadíssimos, mas há nela uma luminosidade
até na adversidade junto a uma sábia
compreensão dos fatos.

Passa pela dor com aprumo, não se faz de
vítima, não aporrinha os outros com queixas
e lamúrias sem fim, aprende e se fortalece
com os revezes da vida.
Cultiva amizades verdadeiras, sabe interagir
com seu companheiro, quando o tem, mas não
se aniquila por não tê-lo.

Uma grande mulher se gosta e se valoriza,
sem tornar-se escrava das cirurgias
plásticas, das roupas de griffe, do
eterno culto ‘a beleza que, ao final
das contas, não vão driblar o tempo, só
enganá-lo e enganá-la.

Antes, investe numa elegância discreta
que vem de dentro, doce, flexível,
humanitária.

Uma grande mulher torna-se exímia no
caminho que escolheu e é inteligente o
bastante para reconhecer que pode mudar
de lugar e de rumo, sempre que sentir
que seu viver não confere com os anseios
de seu coração.

Uma grande mulher tem os pés bem fincados
na terra, mas alguma coisa dentro dela
sempre está olhando para o céu.
Pode parecer até utopia, mas não é.

02.03.2012
Fátima Irene Pinto